sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Dicas de Final de Ano: Romances HOT

Bom Dia Pessoal,

Então, como tenho estado meio lenta nas leituras, decide fazer alguns posts aqui no blog com dicas com livros que eu já li e que possam interessar vocês também, afinal sempre são bem-vinda dicas.

Para começar quero falar de um gênero que gosto bastante, que é o "Romances Hot".

São aquelas histórias românticas com boas doses sensuais. 

Meu problema com esse gênero é quando a autora se fixa muito em somente cenas de SEXO, com altas doses de palavrões. Isso não me agrada. Talvez por isso não tenha curtido o tão famoso "50 tons de cinza". Mas, tenho alguns livros desse gênero aqui e posso falar que existe sim alternativas para quem como eu, gosta de um pouco de sensualidade sem abusar.

OS SULLIVAN

Minha dica para esse tipo de gênero é a série "Os Sullivans" da autora Bella Andre, me conquistou pelo seu jeito fofo, romântico e sensual de contar histórias. 

Cada livro traz a história de um integrante da família, que são super fofos. Os nove primeiros livros são dos Sullivan de São Francisco. Os 5 seguintes são dos Sullivan de Seattle (que seriam os primos deles, ou algo do gênero, me corrijam se estiver errada). E ainda temos os Sullivan de Nova York com os 3 últimos livros.

Essa série ainda está sendo lançada pela autora, e no Brasil temos os 12 primeiros livros lançados (alguém sabe a previsão de lançamento dos próximos?).

Eu li os sete primeiros livros da série e posso falar que mesmo sendo um pouco clichê as histórias me agradaram muito em um todo, e cada personagem tem suas peculiaridades que vai fazer você se apaixonar.

Um detalhe que acho super fofo é que a autora no início do livro,sempre deixa uma carta aos leitores, contando como foi escrever o livro, me sinto especial quando leio isso, pois parece que estou reencontrando uma velha amiga.

Outro fator importante de se comentar é que os livros podem ser lidos separadamente sem ordem, apesar de que seguir a sua ordem, vai ajudar a senti-los mais próximo a família.


1


Enfim para quem gosta de livros HOT essa série e mais que recomendada.

E vocês deixam alguma dica desse gênero?
Já leram? 
Tem vontade de conhecer?

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

CineKriativa: Perdido em Marte

Título original  The Martian
Direção: Ridley Scott
Roteiro: Andy Weir, Drew Goddard
Ano 2015
Gênero: Aventura, Ação, Ficção Científica
Duração: 120 min.
Classificação: 

O astronauta Mark Watney (Matt Damon) é uma das primeiras pessoas a caminhar em Marte. Entretanto, devido a complicações causadas por uma tempestade de poeira, Mark é deixado para trás por sua tripulação e pode se tornar a primeira pessoa a morrer no planeta. Com apenas poucos suprimentos, Mark conta com sua criatividade e inteligência, e embora as possibilidades e probabilidades estejam todas contra ele, Mark luta para sobreviver.




Bom Dia Leitores,

Hoje quero trazer a resenha de um filme que faz um tempo que já estava afim de assistir, que foi ganhador de alguns Oscar e tem um ator que gosto muito, estou falando do filme "Perdido em Marte" com o ator Matt Damon.

A Nasa envia uma excursão para Marte para coletar algumas espécimes de plantas, em um equipe de 6 astronautas, sendo um deles o botânico Mark Watney, porém um acidente ocorre e eles precisam sair do planeta as pressas.

Nessa correria Mark é atingido por um objeto e como estão no meio de uma tempestade de noite, a equipe acaba o perdendo, eles precisam decolar imediatamente senão morrerão, então decidem dar "por morto" o companheiro e voltar para Terra. Porém, a grande surpresa que todos já devem saber e que "Mark" não morreu!!! Ele apenas ficou um pouco machucado e quando acorda no dia seguinte se vê sozinho em um planeta distante, sem vida nenhuma por perto.

Decidido a viver Mark, começa a bolar várias maneiras de sobrevivência e uma forma de se comunicar com a NASA, por sorte existe algumas bases onde eles ficavam que tem alguns suprimentos e oxigênio, onde ele pode se recompor e começar a bolar seus planos.



O presidente da NASA ao receber o relatório dos astronautas dá uma entrevista ao vivo, sobre o falecimento de Mark, porém ao descobrir que o mesmo não está morto eles ficam preocupados com a repercursão da história se empanhando ao máximo para trazer o astronauta vivo para casa.

O problema é que a próxima excursão irá demorar 4 anos e Mark talvez não tenha como sobreviver até lá.



O que falar desse filme? Ele me surpreendeu de várias formas positivas. 

Fazia algum tempo que eu queria ver o mesmo, e só conseguimos nesse último final de semana quando estava passando na TV. Ao ler a sinopse pensei que encontraríamos algo como o "Naufrago" ou "Gravidade", ele tem um pouco dessa fórmula mas também tem outras coisas que tornaram o filme mais dinâmico, explico já porque. 

Ao mesmo tempo que acompanhamos Mark no planeta inabitado tentando arranjar maneiras de sobreviver temos também a parte onde a NASA esta tentando encontrar uma solução o que achei bem interessante.

As paisagens do filme são lindas e realmente merecem um destaque a parte, assim como a atuação dos atores que foi demais. O filme nos dá uma aula de botânica, física, química e astrologia muito interessante, que para quem se interessa por esses assuntos tenho certeza que vai curtir. Temos também toda tecnologia envolvida.



O final foi um pouco forçado eu admito, fiquei pensando que não seria assim se fosse na vida real, afinal quando é que eles abrem tantos segredos assim para o público em geral, ainda mais em uma tela gigante no meio da Time Square.

A vontade de viver e o entusiasmo de Mark são contagiantes, e torcemos por ele o tempo todo. Um filme que realmente vale a pena assistir.




CURIOSIDADES:

1. O escritor do livro, Andy Weir, publicou seu livro pela primeira vez no próprio site/blog despretensiosamente. Até que, as pessoas lhe pediram para que colocassem em uma plataforma para download.

2. A pressão atmosférica sobre a superfície de Marte é em média 0,087 psi, cerca de 0,6% da pressão do nível do mar na Terra, que é de 14,69 psi. Tão baixo que uma "tempestade feroz", como é dito por especialistas, seria algo parecido com uma brisa leve de "bagunçar o cabelo". Devido à baixa densidade do ar, o som não viaja como acontece na Terra e é preciso estar ao lado de alguém e gritar para ser ouvido, acreditando ser possível sobreviver a temperatura congelante, atmosfera venenosa e falta de pressão.

3. A NASA foi consultada durante a produção do filme a fim de obter os aspectos do espaço e viagens espaciais, especificamente em relação a Marte, com o máximo de rigor.

4. Os trajes no filme utilizaram um sistema de iluminação, em funcionamento, complexo e real.

5. A primeira página do roteiro original de Perdido em Marte estava a bordo da verdadeira nave espacial Orion [NASA], quando foi lançado. Na capa, havia um desenho do personagem de Matt Damon em Marte dizendo: "Vou ter de usar a ciência para sair dessa."

6. Cineastas que desejam retratar a NASA em um filme devem obter permissão para tal. Os diretores também devem mostrar a agência que estão levando o assunto a sério e representando a verdade. Cinquenta páginas do roteiro é propriedade da NASA.

7. Cerca de vinte sets de filmagem foram construídos para as gravações de Perdido em Marte, que não é muito em comparação aos outros filmes, porém eles eram muito mais "técnicos". Colocando em perspectiva para com os outros longas de Ridley Scott, o cineasta usou 70 em Êxodo: Deuses e Reis (2014) e mais de 100 em O Gângster (2007).

8. O filme estava, em determinado momento, previsto para ser filmado na Austrália. Porém, devido a desentendimentos com o governo australiano esses planos tiveram de ser abandonados.

9. Eles tinham uma verdadeira fazenda no estúdio, com batatas em todas as fases de crescimento de forma que, pudesse ser usada para as filmagens.

10. Ao projetar os trajes espaciais do filme, a figurinista analisou os verídicos de Marte da NASA e disse que eles eram "exatamente como um uniforme do Buzz Lightyear", pelo fato de ser volumoso. Ridley Scott ainda não os aprovava, de modo que os designs finais do figurino foram baseados em imagens reais, porém voltadas para uma abordagem mais prática.

TRAILER:

sábado, 3 de dezembro de 2016

CineKriativa: A Garota no Trem

Gênero: Drama, Suspense / Thriller
Duração: 100 min.
Direção: Tate Taylor
Roteiro: Erin Cressida Wilson
Elenco: Emily Bunt, Rebecca Ferguson, Haley Bennett, Justin Theroux, Luke Evans
Classificação:  
Ano: 2016

Rachel (Emily Blunt) leva uma vida solitária e gosta de criar histórias para pessoas que vê diariamente no trem. Certo dia, Rachel rotula um casal com a vida perfeita e acaba testemunhando um crime envolvendo essas pessoas e passa a correr perigo por causa disso.



Bom Dia Leitores,

Hoje trago a resenha de um filme que estava curiosa em conhecer, muito pelo que eu tinha ouvido falar pela Blogosfera, estou falando do filme A Garota no Trem, que teve um público enorme de leitores. Porém, contrariando o que sempre faço, dessa vez não li o livro antes de ver o filme, aliás nem comprei o livro, então o que me restou foi ir ao cinema ver a adaptação para as telonas, que em um todo me agradou.

Em A Garota no Trem acompanhamos a vida de três mulheres: Rachel, uma mulher desanimada com a vida, que possui vários problemas, sendo o principal o alcoolismo que a faz esquecer de seus atos, com ela embarcamos no trem, e é ai que começa nossa história. Todo os dias Rachel pega o trem e ao passar por algumas casas ela fica imaginando como seria a vida das pessoas, o que é de certa forma curioso, afinal quem nunca se pegou imaginando algo assim em uma viagem, ou mesmo no seu trajeto para casa. Como ela sempre faz o mesmo caminho, todos os dias ela passa pelas mesmas casas, inclusive a que era a sua. Porém, para desviar sua atenção do passado, ela se detém a casa ao lado onde mora um jovem casal, que ela imagina serem totalmente apaixonados, vivendo aquele amor que só vemos nos cinemas.


A mulher desse casal é Megan, uma das personagens principais do filme, e para espantar nossa curiosidade acompanhamos um pouco de sua história também. E ao conhecermos sua vida, vemos que ela não é tão perfeita quanto parece, e que o amor também não é tudo aquilo que apresenta ser. Seu companheiro quer ter um filho a todo custo, porém Megan é relutante a essa ideia devido há várias coisas, então ela começa a fazer uma terapia e vamos conhecendo sua história de vida mais a fundo. Além disso, ela trabalha para seus vizinhos, que por coincidência era a casa de Rachel, porém que hoje é ocupada por Ana.

Ana era a amante, e agora é a esposa. Junto ao marido de Rachel, ou melhor ex-marido, ela tem uma linda filha. Porém, ela fica ansiosa e preocupada com o comportamento estranho e bizarro da ex-mulher de seu marido, o que a faz contratar uma babá para ajudar a cuidar da bebê e não ficar totalmente sozinha em casa.


Em um certo dia, porém Rachel acaba presenciando uma cena fatal, onde um dos personagens acaba desaparecendo misteriosamente, porém nesse dia ela estava bêbada e não se lembra do que aconteceu exatamente.  Assim embarcamos em um suspense, junto a personagem tentando desvendar a real personalidade de todos e o crime que pode ter acabado sendo um assassinato.


Em linhas gerais gostei bastante desse filme. É um bom suspense que vai te fazer desconfiar de todos. Como temos apenas partes do quebra-cabeça vamos trocando de ideia ao decorrer das cenas, sem saber o que realmente pode ter acontecido, e posso dizer que achei interessante o final de tudo.

Uma história que mexe com várias questões bem polemicas, como alcoolismo e a fertilidade da mulher. 

Os atores desenvolveram muito bem os papéis, sendo que Emily Bunt recebe meus maiores elogios no papel principal de Rachel. Foi impressionante a forma como a atriz conseguiu vestir o personagem e nos levar a cabeça confusa dela.

Apesar de não termos muitos efeitos especiais, nem cenários maravilhosos o filme teve uma ótima fotografia e trilha sonora.

Concluindo, recomendo esse filme para todos que adoram um bom suspense e que gostam de desvendar quebra-cabeças. 



CURIOSIDADES

1. O filme é baseado no livro A Garota no Trem, de Paula Hawkins, best-seller do jornal The New York Times.

2. A autora do livro cogitava Michelle Williams para o papel principal, que acabou ficando com Emily Blunt.

3. No filme, a personagem Rachel é infértil. Curiosamente, Emily Blunt descobriu, durante as filmagens, que estava grávida.

4.. Kate Mara esteve ligada ao projeto. Ela iria interpretar Megan, papel que, posteriormente, passou por Margot Robbie e acabou com Haley Bennett.

5. O longa foi rodado no fim de 2015, em Nova York.

6. Emily Blunt fez questão de ler o livro ates de aceitar participar do filme.

TRAILER: