quinta-feira, 28 de setembro de 2017

CineKriativa - Atômica

E dale pessoalzinho que curte esse cantinho aconchegante da internet chamado Leitura Kriativa! Aqui vos fala Marcelo, e o assunto de hoje é o filme Atômica, estrelado pela espetacular Charlize Theron e o talentoso James McAvoy. Eu e a Patroa fomos ao cinema conferir a película, e posso encher a boca pra dizer que valeu muito à pena!

O filme se passa no ano de 1989, às vésperas da queda do muro de Berlim. A guerra fria parece que chegará ao fim, mas tudo pode ser colocado a perder se uma certa lista com o nome de todos os agentes secretos existentes e seus “trabalhos” vier a público. E é aí que entra a agente Lorraine Broughton (Theron) do MI6.
Pensa numa mulher foda!
Agora multiplica!

Lorraine deve contatar em Berlim o agente David Percival (McAvoy), que está infiltrado na cidade já há um bom tempo, e acabou absorvendo demais o modo de vida de Berlim. E então inicia-se um jogo de espiões que envolve o MI6, a CIA, a KGB, a Inteligência Francesa, e mais um monte de gente que quer colocar as mãos na tal lista.

Percival, e seu carrinho meia boca...
Entre muitas informações que a lista traz, há também a possível identidade de um agente secreto de codinome “Satchel”, considerado um agente duplo e que, portanto, se torna também uma ameaça à Lorraine e a toda a missão.

Temos cenas de ação e luta simplesmente fantásticas. Lorraine Broughton é especialista em infiltração e combate corpo a corpo, o que então garante uma boa dose de porrada. Mas porrada mesmo, o negócio é brutal, a mulher é uma arrasa quarteirão! Mas ela não bate apenas, também apanha pra caramba, tem cenas que chega a dar dó!
Será que Lorraine e Daniel San treinaram juntos?

Destaco nesse filme também a trilha sonora. A junção de cenas emocionantes com fundo musical anos 80, casando perfeitamente com os momentos, tornou o filme ainda mais frenético! Eu saí do cinema cantarolando algumas delas e lembrando dos momentos do filme, ficou tudo muito harmonioso, sensacional!

Pra quem curte esse gênero espionagem, tem que dar um jeito de assistir! É daquele tipo que nada é o que parece ser, que você fica se perguntando o filme todo quem é o mocinho e quem é o vilão. Será que vocês conseguem matar a charada antes do filme acabar e revelar tudo? Eu consegui hehe!


Então povinho, até a próxima!
Titio Darth confessou que foi
ele que derrubou o muro de Berlim...

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Outlander - A Viajante do Tempo de Diana Gabaldon

Editora: Arqueiro
Páginas: 800 páginas
Edição: 1
Ano: 2016
Gênero: Romance
Classificação
Onde comprar:

Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.

Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro das Terras Altas, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo pelo escocês. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?


Bom Dia Pessoal,

Essa é uma das resenhas mais difíceis que eu já fiz para o blog. Porque esse é um dos:  
MELHORES LIVROS QUE EU JÁ LI NA VIDA

Tenho dificuldade pois é complicado externar tudo que esse livro me fez sentir e refletir, mas tentarei explicar as razões de eu ter chegado a essa conclusão e quem sabe convencer você a dar uma chance a essa leitura.

Em Outlander - A viajante do tempo (primeiro livro da série) acompanhamos a história de Claire, uma enfermeira que trabalhou durante a segunda guerra mundial tratando vários soldados a beira da morte. A guerra acabou e ela decidiu viajar com seu marido Frank (que também estava servindo na guerra) para as terras escocesas, tentando ter uma segunda lua-de-mel e dar um "up" em seu casamento que parece ter esfriado.

Frank escolheu a Escócia principalmente pelo fato de querer pesquisar sobre seus antigos antepassados, já ela não liga muito para isso, e prefere ficar em busca de plantas e ervas medicinais, que é sua mais nova paixão. 


- O que você viu exatamente? - perguntei sentado-me no banquinho da penteadeira. Indiquei a garrafa de uísque erguendo uma das sobrancelhas e Frank imediatamente foi servir dois uísques.
- Bem, na verdade, apenas um homem- ele começou, medindo uma dose para ele e duas para mim. - Parado na rua lá fora.
- O que? Do lado de fora dessa casa? - perguntei com uma risada. - Então, deve ter sido um fantasma; não posso imaginar ninguém parado por aí em uma noite como essa.
página 24

Um belo dia, os dois vão até o alto de uma montanha perto de algumas pedras, o lugar se chama Craig na Dun (descobri que esse lugar foi inteiramente inventado pela autora, apesar de na Escócia sim existir alguns lugares que tem os famosos círculos de pedras) e eles acabam presenciando escondidos um "ritual pagão". Várias mulheres dançando em torno das pedras com lampiões o amanhecer. Isso os deixa fascinados, porém eles acabam tendo que deixar o lugar apressados para não serem descobertos.


Apertou os olhos míopes para a minha mão, percorrendo delicadamente.com uma unha dura e pontuda, a minha profunda linha do casamento.
- Na maioria das linhas do casamento é interrompida, a sua bifurcar-se.- Ergue os olhos em tom brincalhão. - Certamente, você não é uma bígama em segredo, não é?
Sacudi a cabeça rindo.
- Não.Quando teria tempo para isso? - Em seguida virei a mão mostrando a parte externa.
página 38

No outro dia, Claire volta ao local sozinha para coletar algumas espécimes de plantas que chamaram sua atenção, enquanto Frank vai falar com um padre na cidade sobre sua árvore genealógica. Ao chegar na montanha ela é hipnotizada e ao tocar em uma das pedras, o que acontece em seguida é algo inacreditável


A verdade é que nada se movia, nada mudava, nada parecia acontecer e, ainda assim, eu experimentava uma sensação de terror tão grande que perdi completamente a noção de quem ou o quê eu era, ou onde me encontrava.Estava no âmago do caos e nenhuma força física ou mental era útil contra isso.
página 51

Ela é transportada para algum lugar do século XVII, época em que a Escócia estava em guerra contra a Inglaterra e se vê ao meio de uma "pequena batalha" entre ingleses e escoceses. A moça fica aturdida ao se deparar com o antepassado de seu marido, o capitão Jack Randall, mais conhecido como Black Jack (perfeito apelido e quem ler vai entender), porém ele não é nada do que Claire esperava. Ela acaba tendo que fugir do homem caindo nas mãos de escoceses. Eles também não confiam na inglesa, porém ela se faz útil ao chegar na casa e tratar do ombro de Jamie, um jovem escocês que está ferido.


Parecia inconcebível,mas todas as evidências indicavam que eu estava em um lugar onde os costumes e a política do final do século XVII ainda vigoravam. Eu teria imaginado que tudo não passava de algum tipo de espetáculo de fantasia,se não fosse pelos ferimentos do jovem a quem chamavam de Jamie.
página 70

Sem saber o que pensar direito e como agir ela acaba "aprisionada" pelo grupo escocês e levado até um dos antigos castelos da época chamado Castelo Leoch, para ser apresentada a Column, o chefe do clã Mackenzie, um dos mais poderosos da época. 


Eu estava furiosa,nauseada, humilhada e revoltada,mas curiosamente sem muito medo. Senti um movimento pesado, frouxo, contra a minha perna e repentinamente compreendi por que. Ele não iria conseguir a menos que eu gritasse,- e provavelmente nem mesmo assim.
página 331

E a partir disso, Claire se vê envolvida nessa época antiga, onde terá que aprender os novos costumes, enquanto tenta arrumar uma maneira de voltar para sua própria época, e além disso, vai ter que se esforçar para não se envolver com lindo jovem escocês Jamie, que parece ler seus pensamentos. 

Uma história de guerra que vai fazer seu coração palpitar
Um romance que vai fazer você suspirar
Uma viagem no tempo que vai abalar todas suas estruturas

A jornada apenas iniciou e você tem coragem de embarcar nela junto?



MINHA OPINIÃO

Posso dividir minha vida literária em alguns grandes marcos de escritores que me fizeram enxergar a literatura de uma forma diferente. Posso dizer com todas as letras que Diana fez isso comigo. Estou devastada, fanática e apaixonada por essa fantástica história.

Eu havia encontrado esse livro há alguns anos, e ao ler a sinopse sabia que me apaixonaria por essa história. Na época o livro era comercializado pela editora Rocco (que acredito não deu muito valor a série), e por isso não tinha muitos exemplares disponíveis nas livrarias. Com algum esforço consegui o primeiro livro da série, mas não o li em seguida. Algum tempo depois, ouvi a notícia que a transformariam em uma série de tv, mesmo assim, decide me segurar pois queria ler o livro antes. Finalmente esse mês assistimos o primeiro e episódio e corri ler o livro antes de terminar de assistir a temporada porque não podia mais fugir dessa magnífica história.

A Viajante do Tempo é escrito em primeira pessoa na visão de Claire, e com ela que vamos descobrindo esse novo mundo. O livro é enorme (para meu padrão pelo menos) tem quase 800 páginas, confesso que deu um medinho na hora de começar a ler ele. Entretanto, algo aconteceu durante a leitura, e finalmente consegui entender o que muitos falam, não importa se o livro tem 1.000.000 de páginas, se ele for bom você sempre vai querer mais, e foi o que aconteceu comigo. Ao acabar fiquei devastada e querendo saber mais e mais, então corri na internet e comprei o segundo volume, eu não podia esperar. Com isso descobri essa história faz parte de uma série (uma série bem longa) e demorei um pouquinho para entender a cronologia, por isso vou deixar ela aqui em seguida para ajudar vocês. A arqueiro comprou os direitos dessa série de livros e até o momento (2017) lançou até o livro 6 no Brasil.

Livro 1 -  A viajante do tempo
Livro 2 -  A libélula no âmbar 
Livro 3 - Parte I - O resgate no mar
Livro 3 - Parte II - O resgate no mar
Livro 4 - Parte I - Os tambores de outono
Livro 4 - Parte II - Os tambores de outono
Livro 5 - Parte I - A Cruz de Fogo
Livro 5 - Parte II - A Cruz de Fogo
Livro 6 - Parte I - Um sopro de neve e cinzas
Livro 6 - Parte II - Um sopro de neve e cinzas
Livro 7 - Parte I - Ecos do Futuro
Livro 7 - Parte II - Ecos do Futuro
Livro 8 - Written in My Own Heart’s Blood
Livro 9 - Go Tell the Bees that I Am Gone (a escritora está escrevendo porém não tem data de lançamento ainda).

E ela deu algumas entrevistas que pretende acabar a série no Décimo livro, porém nada confirmado 100% ainda.

Diana criou uma história tão fantástica porque ela mistura fantasia, utilizando a volta no tempo por "poderes mágicos", romance entre um dos casais mais fofos da literatura pois o que acontece com eles é natural e real não tem como não se envolver, além de fatos históricos fascinantes como a guerra entre a Escócia e a Inglaterra. Além disso, temos uma pesquisa tão complexa sobre os costumes da época, as plantas que eram utilizadas para cuidar de certas enfermidades e os fatos históricos que enriquecem demais esse livro(quando eu crescer quero ser que nem você Diana), e o que me deixou abismada é que em uma entrevista ela comentou "que estava escrevendo pata treinar sua escrita".

Nota da autora:
A série Outlander começou por um acidente no final da década de 1980 quando decidi escrever um romance para praticar. Meus objetivos foram:
1. Aprender o que é necessário para escrever um romance.
2. Decidir se eu realmente queria fazer isso.
Eu fiz e aqui estamos tentando descobrir o que diabos vocês chamam de livros que ninguém pode descrever, mas, felizmente, a maioria das pessoas parece gostar.
Essencialmente, esses romances são Grandes, Enormes, Ficções Históricas à la James Clavell e James Michener. No entanto, devido ao fato de eu ter escrito o primeiro livro para praticar e não pretendia mostrar a ninguém, não vi nenhum motivo para me limitar, eles incluem história, guerra, medicina, sexo, violência, espiritualidade, honra, traição, vingança, esperança e desespero, relacionamentos, construção e destruição de famílias e sociedades, viagens temporárias, ambigüidades morais, espadas, ervas, cavalos, jogos de azar, viagens de ousadia, jornadas de corpo e alma. Você sabe, o material usual da literatura.
Eu não gosto de fazer coisas que já fiz, então (apesar de ser uma série e envolver os mesmos personagens centrais), cada livro é único em estrutura, tom, abordagem e tema. Os livros podem ser lidos independentemente um do outro (não posso ter certeza de que as pessoas que vêem o mais novo em uma mesa de livraria perceberão que é parte de uma série, então os livros são (com pequenas exceções) projetados para ficar sozinhos), mas se você tiver uma escolha, recomendo que comece no início, com "OUTLANDER", e lendo a história em ordem de publicação (eu diria "em ordem cronológica").
Diana Gabaldon



Continuando com minhas observações pessoais, gostaria de comentar um pouco sobre o enredo e porque me fascinei tanto. Temos todo esse ar de volta no tempo e de se acostumar com coisas que eram normais naquela época, aqui comento uma pequena cena onde a protagonista acaba tendo que levar uma surra por sua desobediência(e que eu falo foi totalmente merecida),mas que também fico sentida pelo seu orgulho feminino abalado. Temos também os confrontos entre escoceses e ingleses, afinal eles estavam "em guerra" não declarada (ainda), e isso trouxe um dinamismo incrível para o livro. Afinal, os escoceses acreditam que ela é uma espiã inglesa, enquanto os ingleses não entendem o que uma mulher poderia estar fazendo sozinha na Escócia. 


- Bem, essa é a questão - disse devagar - Talvez faça.E isso é porque você não leva as coisas tão a sério quanto elas são.Acho que você vem de um lugar onde tudo é mais fácil. De onde você vem, não é uma questão de vida ou morte desobedecer ordens e tomar decisões por conta própria. Na pior das hipóteses, pode causar algum desconforto há alguém ou ser um pouco inconveniente, mas não vai matar ninguém.
página 341

Como Claire era enfermeira logo toma posto de curandeira no castelo, lidando com ervas e plantas. Sabendo de coisas que não são tão possíveis, não demora muito para chegar ao ponto de: Acusações de bruxaria (isso não é spoiler pois está na sinopse do livro), e essa parte foi fantástica e contém uma das revelações que me fez perder o fôlego e pensar "Meu Deus do céu!".

Além disso, temos é claro o romance fofo e lindo da literatura!!! O jeito que ele acontece e se desenvolve é tão lindo, tão real, que não tem como não se apaixonar por esses dois personagens e chegar a conclusão de que eles são almas gêmeas e devem ficar juntos.


Você é sangue do meu sangue e ossos dos meus ossos.
Dou-lhe meu corpo,para que nós dois sejamos um só.
Dou-lhe meu espírito,até o fim de nossas vidas.
página 236

A capa dessa edição é linda,maravilhosa e tem tudo a ver com o tema. O livro é divido em algumas partes e em cada uma delas vamos conhecer e passar por uma situação diferente. Os capítulos possuem nomes e eles estão estritamente ligados com o que acontece durante a trama. 

Sobre os personagens, não tem como descrever todos apesar de merecerem assim falarei dos principais. Claire é essa mulher moderna, decidida extremamente culta e corajosa, jogada em uma época que não conhece, mas que está a posto para enfrentar o que for preciso para conseguir voltar. Jaime é um fofo , não tem como não se apaixonar por esse escocês, ele é gentil e teimoso como uma mula, porém seus qualidades sobrepõem seus defeitos e só o fazem parecer mais real e quanto mais conhecemos sua história, e quanto mais ele demonstra sua coragem e determinação, mais nos apaixonamos. Ok, já deu para perceber que estou apaixonada (desculpe Marcelo Brinker). Jack Randall é outro personagem incrível, me causou todos tipos de ódio possível, quando entrava em cena eu só queria bater nele ou sair correndo. O cara é doentio, e várias de suas ações me fizeram chorar e ficar totalmente chocada. Outros personagens como Geili Ducans, Jenny Fraser e Dougal Mackenzie ficaram em suas memórias, todos com papéis secundários, porém  que mereciam um livro somente para eles, de tanto que são reais, palpáveis e humanos. Incrível!


- Jamie - eu disse em voz de rouca, seu nome ecoando da água. - Jamie, por favor.
- Ainda não, mo duinne. - Suas mãos agarraram-me com força pela cintura.movendo-se devagar,pressionando para baixo, até eu realmente gemer.
- Ainda não. Temos tempo. E pretendo ouvi-la gemer assim outra vez. E gemer e soluçar,mesmo que não queira, porque não pode se conter. Quero faze-la suspirar como se seu coração fosse se despedaçar e gritar de desejo e finalmente berrar em meus braços e saberei que realmente dei muito prazer.
página 731

Tenho duas pequenas ressalvas a fazer sobre do livro.Primeiro sobre a diagramação. Meu exemplar ainda é da editora Rocco e alguns parágrafos ficaram confusos,porque era o mesmo personagem falando mas eles quebraram linha o que para mim não ficou legal. Segundo ponto, os detalhes específicos sobre o poder medicinal das ervas, eu retiraria algumas explicações demasiadas longas. Porém, ao final descobri que a autora trabalha nessa área e consegui entender do por quê temos algumas coisas tão detalhadas (está perdoada Diana).

Um outro receio que eu tinha é da autora se perder em tantas páginas, será que tem tanta história assim para contar? É me surpreendi novamente. As 800 páginas são preenchidas com uma maestria divina, cheia de fugas, intrigas, brigas,paixões e romance que me deixaram abismada e tendo que parar para respirar ao final para conseguir digerir tudo que ocorreu. 

Agora sobre o final, porque fizeste isso, Diana? Acredito que ela conseguiu colocar alguns costumes da época de uma forma dilaceral, que esmagou meu coração assim como dos personagens. Fiquei chocada pensando, porque? 

É isso que um grande autor consegue fazer com seu leitor. 

Ela nos levou até as profundezas da alma humana, para no final nos mostrar uma pequena luz e uma esperança.


Você tem livre-arbítrio, assim como todas as outras pessoas neste mundo. E a história, acredito, é a soma de todas essas ações. Alguns indivíduos são escolhidos por Deus para afetar o destino das pessoas. Talvez você seja uma delas, Talvez não. Não sei porque você está aqui. Você não sabe. Provavelmente nenhum de nós jamais saberá.
página 713

Como comentei, o livro possui uma série de TV, mas que falarei melhor em outro post, pois esse está ficando longo demais, apenas um pequeno conselho a série está muito bem adaptada e vale a pena assistir. Achei um vídeo maravilhoso sobre a série e a história como tudo foi feito com tanto empenho, um pouco sobre os personagens, atores para quem quiser conhecer deixo abaixo:




Sobre a Autora

Diana Gabaldon cresceu no Arizona, Estados Unidos, e é de ascendência mexicano-americana e inglesa. Tem formação em Zoologia, Biologia Marinha e Ecologia. 

Foi professora universitária durante mais de doze anos antes de se dedicar à escrita em tempo integral. Sua série Outlander se transformou em um enorme sucesso mundial e foi adaptada para a TV em 2014. Atualmente Diana mora em Scottsdale, no Arizona.

Site oficial da autora: http://www.dianagabaldon.com/blog/




Concluindo, sei que essa resenha ficou enorme e não teria como fazer isso diferente. Espero ter conseguido passar pelo menos alguns pontos do porque esse livro me emocionou tanto, porque Diana se tornou uma das minhas escritoras favoritas e porque você deveria conhecer essa série. 

Outlander é uma história bem escrita, com um fundo de fantasia e um romance de tirar o fôlego. Só tem mais um detalhe que quero comentar, na minha opinião: Esse não é um livro para qualquer leitor, pois é uma história cheia de conteúdo e exige uma entrega total do leitor. Mas, se você ficou 1% curioso, eu digo "Se joga", e depois vem aqui me contar o que achou. 

ALTAMENTE RECOMENDADO!!! 
QUERIDINHO DO ANO!!!

Raquel Machado

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Dica de Série: Os 13 porques

Bom Dia Pessoal,

Como esse foi o mês escolhido para falar e debater sobre um tema muito importante "Suicídio", decidi colocar no ar hoje minha impressão sobre a série "Os 13 porquês", pois tem tudo a ver com o tema e realmente merece ser conferida de perto.



Essa série é baseada no livro de Jay Asher publicado em 2007 e seu tema principal é o suicídio adolescente

Nessa série acompanhamos Clay, um jovem que está triste pela morte de Hanna (a garota por quem ele era apaixonado). Um dia ele recebe uma caixa com 13 fitas cassetes e leva um susto ao ouvir essas fitas, pois quem está narrando elas é a Hanna Backer. As instruções são simples ouvir as fitas e passar para a próxima pessoa. O conteúdo das fitas, é a razão porque ela se suicidou, então cada fita é direcionada há um personagem e do porque ele levou a menina a se suicidar. 



Durante os treze episódios entre presente e passado vamos acompanhando Hanna e sua vida e as razões que levaram ela a cometer tal ato. Nesses capítulos são tratados vários temas polêmicos como o Bullyng e Abuso Sexual, e não vou mentir que a coisa fica bem tensa da metade para o final.

Ouvi muitos comentários sobre a série ser dramática e que poderia deixar uma pessoa depressiva a ponto de fazer a mesma coisa que a protagonista. É uma série forte sim, que veio com o intuito de mexer com a cabeça e os valores que temos em nossa sociedade. Por isso é importante termos sempre a noção do que é realidade e do que é fantasia, e de que apesar essa ser uma série que veio para alertar sobre esse tema, o que aconteceu "não é bonito" e "não é razão para uma pessoa cometer tal ato". Afinal, suicídio não é a resposta NUNCA para resolver uma situação.  



Existem algumas cenas que confesso lembrei de mim mesma na escola, em situações que também passei (eu era a garota que sofria bullyng por ser meio nerd), e  entendo que quando somos adolescentes tudo parece ser o fim do mundo, mas depois vemos que a coisa não é bem assim. Acredito que essa história podia ter mostrado esse outro lado também.

Fiquei meio chocada com o final e de como são mostrados certos detalhes sobre isso. Existem rumores sobre uma segunda temporada mas nada confirmado ainda.



Concluindo, acredito sim que todos deveriam assistir, inclusive os pais dos adolescentes para entender um pouco mais seus filhos. E que essa história é um grande apelo para ficarmos de olho e disposto a ajudar pessoas em depressão ou que estejam passando por problemas, talvez não pareça muita coisa para você mas para a pessoa pode parecer. Às vezes apenas ter alguém para ouvir, ou dizer "Estou aqui se precisar", pode ser a solução para um caminho bem melhor.

Trailer:


E vocês já assistiram?
Pretendem assistir?
Raquel Machado

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Kriativa Filmes - Feito na América

Bom dia pessoal! Aqui é o Marcelo, e como tem saído muito filme bom, lá vai mais uma análise cinemática! E a bola da vez é o filme “Feito na América”, estrelado por Tom Cruise, e baseado em fatos reais!

Nesta película Tom Cruise interpreta o polêmico piloto de avião Barry Seal. Ele é um cara que faz muito bem seu trabalho, mas que tem um pézinho na ilegalidade.

Um certo dia a CIA descobre que ele traz charutos cubanos clandestinamente em suas viagens comercias, e chamam o piloto para uma conversa, por intermédio do enigmático agente “Schaeffer” (Domhnall Gleeson). Barry tenta desconversar, já imaginando que iria se lascar, mas eis a surpresa: a agência resolve utilizar de seus “serviços” para benefício próprio. Afinal de contas, ele é muito bom no que faz. Mas claro, tudo isso, extra oficialmente.

Tratando de negócios
E aí que ele começa a se enrolar. O que era para ser um serviço de apoio a sua nação, acaba crescendo e se tornando tráfico internacional. Barry ocasionalmente acaba se envolvendo com o Cartel de Medelin. Sim, aquele mesmo do famigerado Pablo Escobar. E os colombianos também reconhecem que o piloto sabe fazer seu trabalho, e resolvem recrutá-lo.

Cada vez mais ele vai se enrolando, mas vai ganhando muito dinheiro também, e como tem uma bela esposa e filhos para sustentar, que mal tem né? Só que as coisas vão crescendo até uma proporção que ele não consegue mais controlar...
Colombianos muy amigos...ou não!

O filme é muito interessante, por ser baseado numa história real. O personagem Barry Seal realmente existiu, e a atuação de Cruise, como sempre, não deixa a desejar. O filme tem umas tiradas engraçadas, pelas situações confusas em que ele se mete, e ao mesmo tempo pela habilidade dele de se livrar dessas enrascadas. O cara é muito liso! E tem também um pouco de tensão, porque tu sempre fica naquela expectativa de que em algum momento ele vai se ferrar. Será que vai? Só assistindo o filme pra saber!

Algumas curiosidades sobre o filme:

  • A história de Barry Seal já foi retratada no filme “A Vida Por um Fio – Entre a Lei e o Crime (1991);
  • Tom Cruise teve que engordar alguns quilos para dar vida ao protagonista;
  • O título original do filme ia ser Mena;
  • O piloto e dublê Alan D. Purwin e seu co-piloto Carlos Berl faleceram durante um acidente de avião em 11 de setembro de 2015. A aeronave onde os dois estavam caiu próximo à Medelin, na Colômbia, sob intensa neblina. Minutos depois, o próprio Tom Cruise fazia a mesma rota que o avião em colapso, sem saber ainda do ocorrido;
  • Outros filmes biográficos estrelados por Tom Cruise são Nascido em 4 de Julho(1989) e Operação Valquíria (2008).


É isso aí pessoal, espero que a análise tenha despertado um pouco da curiosidade de vocês, vale a pena conferir o filme! Até a próxima!
"Eu sinto o Lado Negro em
você Barry! Junte-se a mim!"

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Resenha Livro "Armada", de Ernest Cline

Resenha Armada – Ernest Cline

E dae povinho gente boa que visita este querido blog, tudo bem? Aqui quem vos escreve é o Marcelo! Sim, eu também estou de volta, junto com a Raquel (minha patroa agora oficialmente!) e o blog, resolvemos transformar a preguiça em músculos (dos dedos) e vamos lá que a resenha vai começar!

Trouxe hoje minhas impressões sobre o livro “Armada”, do escritor Ernest Cline. Talvez alguns lembrem, um tempo atrás já postei por aqui a resenha do “Jogador Número 1” do mesmo cara, que vai virar filme dirigido pelo Spielberg, procurem o trailer, que na minha opinião vai ser muito louco!!!

Então, em “Armada”, conhecemos o jovem Zachary Lightman, um adolescente como outro qualquer, que frequenta escola, tem poucos amigos, já andou quebrando a cara de uns, tem treta com a ex-namorada que estuda na mesma sala... os problemas normais da adolescência. Em casa, Zach vive com sua mãe, pois seu pai morreu em um acidente terrível, mas deixou para trás um grande legado: um pilha de cacarecos e coisas que remetem aos anos 80, antigos filmes, jogos e talz. Para qualquer pessoa provavelmente seria um monte de lixo, mas aquele é o tesouro de Zach.

Zach é viciado em um game chamado Armada, de batalha espacial contra alienígenas. E ele é bom nesse jogo. Muito bom, ao ponto de estar no ranking dos 10 melhores do MUNDO! Seu nick no jogo, Beagledeaço, faz referência ao Snoopy e ao filme Águia de Aço, clássico da sessão da tarde! Essa é só uma das pequenas referências que encontramos no livro, marca registrada do escritor.

Num dia comum de aula, olhando pela janela entendiado, Zach vê uma das naves do jogo que ele tão bem conhece. No mundo real. Mas hein? WTF? Aquilo o deixa muito intrigado e, dali em diante, uma série de acontecimentos o faz perceber que talvez ele esteja vivendo uma gigantesca teoria da conspiração, muito semelhante à que ele enfrenta no jogo Armada.
Ernest Cline e seu "possante"!

Então, não quero estragar muito das surpresas da história, mas temos referências à antigos filmes, games e músicas, temos batalhas espaciais sensacionais, encontros emocionantes, palavrões (linguagem comum a qualquer adolescente)... caraca, eu gostei muito desse livro. Eu já havia lido algumas resenhas por aí, e muita gente estava tocando o pau, em comparação com o outro livro do autor, “Jogador Número 1”. Entretanto, eu gostei muito desse também, tanto que devorei o livro em alguns dias. Mas isso vai do gosto de cada um né!

É isso então gente, pra quem curte esse gênero meio geek/ficção científica, é uma ótima pedida! Quem já leu o primeiro livro do cara, meio que já sabe o que esperar, mas a sacada da história de “Armada” é muito interessante!
Papi Poderoso aprova este livro!


Até a próxima pessoal!

sábado, 16 de setembro de 2017

Estréia nas Telonas - Segundo Semestre de 2017

Bom Dia Pessoal,
Hoje vou trazer um post diferente. Quero falar sobre os filmes que vão estrear no segundo semestre desse ano e que estamos de olho. Vem comigo.

Setembro

It A Coisa
Está aí um filme que estamos super ansiosos para ver. Mais uma adaptação de Stephen King que vai estrear nas telonas no mês que vem. Um releitura do filme antigo e que promete muitos sustos.Será que vou ter coragem de ir ver nas telonas?

Feito na América
Assistindo ao trailer desse novo filme do Tom Cruise podemos ver que promete muita ação e aventura. Ficamos mais curiosos ainda por saber que se trata de uma história verídica.


Outubro

Tempestade
Mais um filme de desastres naturais que promete surpreender. Com elenco de peso, tempestade está na nossa lista.


Thor Ragnarok
Somos fãs de filmes de super-heróis e confesso que esse está na minha lista desde o início do ano. Tirando a atuação do lindíssimo Chris Hemsworth, temos ainda uma história que promete surpreender nos levando novamente a Asgard e com participação de ninguém menos do que Hulk. 




A morte tá de parabéns
Descobri esse filme esses dias e fiquei muito curiosa com a história. Adoramos histórias que tem aqueles famosos looping de tempos e esse é bem diferente de outros que já vimos.

Novembro

Liga da Justiça
Todos os fãs estão esperando esse filme que promete reunir os super heróis da DC. Estou ansiosa para ver o Aquaman(adoro esse ator) e espero muita ação nesse filme.

Extraordinário
Já vi várias resenhas dessa história pela internet, infelizmente ainda não consegui ler o livro mas pretendo fazer isso antes do filme se conseguir. Parece uma história muito emocionante com uma bela lição de vida.



Dezembro

Star Wars
Não podia faltar na lista esse filme. Marcelo Brinker com certeza está contando as horas para ver mais uma vez esse universo nas telonas e confesso que também estou curiosa.


Então gostaram das dicas.
Pretendem ver algum desses?
Não esqueça de deixar seu comentário, com certeza vou retribuir.

Raquel Machado